Google+

30 de set de 2018

Skeleton Farm’s Halloween Horrorshow

Mais um mixtape !





Já faz algum tempo que não posto um mixtape, então resolvi trazer esse que é bem desconhecido, até mesmo do publico underground.

Rapidinho para quem não sabe, mixtape é uma coletânea com diversos videos, no caso podem ser engraçados ou chocantes, mas normalmente são bem divertidos. Podem conter cenas de filmes (incluindo até de pornôs bizarros), videoclipes, programas de TV, reportagens e muito mais. É algo bem simples de se fazer e lançar na internet. Eu mesmo fiz dois, Brazil Movie Mixtape Volume 1 e 2, nesse caso, peguei cenas de filmes brasileiros trash, muitos que postei aqui.

Mas falando desse do tópico, não foge muito do habitual, a grande parte contém filmes trashs, uma outra parte de clipes musicais, complementando com alguns programas. Já que citei clipes musicais, conheci aqui um grupo chama Fat Boys, que fizeram um rap com o Freddy Kueger, o nome da canção é ''Are You Ready For Freddy?''. Vejam completo:


Na trilha sonora temos Alice Cooper, Ramones, White Zombie e diversas bandas underground. O mixtape em si começa bem leve, algumas bizarrices aqui, outra ali, uns peitinhos, mas lá para o final começa o show de horrores trashs, mutilações, cabeças e braços arrancados, bizarrices, tem uma cena onde uma garota atira uma bola de basquete e explode a cabeça de uma velha kkkkkkkkk

O video é divertido para assistir com os amigos, e ainda por cima é curtinho, pode ser um aperitivo para um filme ainda pior a vir.












Trailer



Skeleton Farm’s Halloween Horrorshow
Canadá
2010 - 45 minutos


Direção:
Skeleton Farm

Elenco:
Vários

Download

31 de ago de 2018

O Rato Humano (Rat Man)

Clássico trash italiano !


Resenha vinda do amigo Alan do Trashinema.

Numa ilha do Caribe, o médico/cientista/louco Dr. Olman quer apresentar em um congresso de genética a sua criação: um ser híbrido resultado do cruzamento de um rato com um macaco, que possui um poderoso veneno em suas garras e dentes capaz de produzir leptospirose instantaneamente! Basta um simples arranhão para matar um ser humano em segundos. Mesmo sabendo disso, ele pensa que isto foi uma grande descoberta, digna de um prêmio Nobel, que lhe trará fama e fortuna, como se fosse algo de útil para a humanidade.


Seguindo... vemos então a sua criatura aprisionada em uma gaiolinha - interpretado por um minúsculo ator com dentes afiados. Acontece que o ratão acaba escapando e então corta para uma cena na praia, onde Marc está fotografando as modelos Marilyn e Peggy. Lá pelas tantas, Peggy avista entre umas pedras algo que, com muita boa vontade, aparenta ser uma caveira ensanguentada.

Depois de muita gritaria, eles estão tranquilos bebendo no bar como se nada tivesse acontecido, sem nem se dar ao trabalho de chamar a polícia. Peggy sai a noite de táxi, mas durante o percurso o pneu fura e ela tem que seguir a pé, já que é o TERCEIRO pneu furado do taxista no dia. Felizmente ele diz que é tranquilo para seguir caminhando, mas ela vai parar em um beco bem barra pesado, deserto e escuro, onde avista por uma janela um corpo ensanguentado sendo arrastado. Em seguida vê um homem que começa a persegui-la. Ela se esconde em uma casa, mas denuncia sua presença quando convenientemente seu colar de pérolas estoura e as bolinhas saem rolando pelo chão. Mas quem a encontra primeiro é o ratinho assassino que a aranha toda.


Terry, a irmã de Marilyn desembarca na ilha para identificar o corpo da irmã no necrotério, porém, o
corpo é de Peggy, que estava com o vestido com uma etiqueta com o nome da amiga, o que causou o
equívoco da polícia. Terry, que ao chegar conhece Fred, um escritor de araque que viera no mesmo voo e passa a acompanhá-la e ambos tentam investigar o assassinato, já que a polícia não parece muito disposta a isto, e vão parar na casa onde Peggy foi atacada, mas nada de interessante ocorre por lá. Depois, Terry é novamente chamada pela polícia para identificar outro corpo, mas mais uma vez a competente polícia parece ter errado de corpo. E olha que desta vez nem tinha etiqueta com nome.

Enquanto isso, a Marilyn verdadeira está saracoteando pela floresta fazendo poses
selvagens/esquisitas até que, ao entrar em uma caverna, gotas de sangue pingam sobre ela e não é
que encontram outro corpo? Marc, Peggy e a assistente Monique, param em uma vila procurando por
um telefone para informar sobre o ocorrido. O local parece abandonado e Marc vai atrás de Monique e a encontra no momento em que ela é atacada pela criatura - que finalmente aparece em ação saindo da privada e a retalhando.


Eles seguem pela estrada e coincidentemente vão parar na casa do médico biruta do início do filme.
Enquanto Marc e o Dr. Olman ficam de papo furado, Marilyn toma um delicioso banho erótico - na
melhor cena do filme - enquanto é observada por alguma criatura pela janelinha. À noite Marilyn recebe uma inesperada visita do pequeno grande rato e sai correndo pedir ajuda a Marc, mas o encontra todo arranhado e sem vida.

O Dr. pede para Tonio, seu ajudante, pegar o bichinho e o maluco, que não tem amor à vida, obedece,
indo atrás dele, mas sendo encontrado primeiro. O ratão pula nele e com suas mãozinhas com garras
afiadas fura seus olhos e devora seu corpo. O médico por fim explica que a criatura é resultado de sua pesquisa de 20 anos de dedicação e insanidade e conta que ele é dotado de grande inteligência, capaz de escapar de armadilhas e sentir o cheiro de um homem há 10 km - o que explica ele estar em toda a parte.

Com isso, os moradores da vila - que não foram devorados - fugiram, deixando o local abandonado. Me surpreende que ninguém tenha avisado a polícia... Marilyn e o médico vão saindo mas o besta volta para pegar a sua preciosa pesquisa, e isto será o seu fim quando o pequeno dentuço o ataca e o roe todo. Marilyn volta para pegar a chave do carro junto ao corpo do Dr. e, quando vai para o carro o ratão já estava a esperando lá. Aí fica nessa enrolação só pra ganhar mais uns minutos de filme. Ela se vê obrigada a voltar à casa e lá encontra uma arma, mas o escuro, o tamanho do alvo e sua péssima pontaria a fazem desperdiçar todos os tiros.


Ela se tranca na cozinha e bloqueia a porta com a geladeira. Sem ter o que fazer e nem para onde ir,
ela fica por lá saboreando uma deliciosa coca-cola e tirando uma soneca. Quando amanhece ela abre a geladeira para fazer uma boquinha e dá de cara com o monstrinho que a persegue lentamente com
suas perninhas e, ao invés de ela dar-lhe um chutão, apenas fica gritando desesperada. Assim ele salta
nela e já sabemos o resultado.


Fred e Terry, que pelo jeito ficaram toda a noite rodando de carro atrás de Marilyn chegam à casa do
médico e encontram os corpos, inclusive o de Marilyn. Pelo menos agora ela poderá identificar o corpo correto e assim sua viagem não será em vão. A polícia continua sem nenhuma pista, que por sinal não fez nada o filme todo, apenas ficou tentando identificar corpos, sendo que nem isso fizeram direito. Eles entregam os pertences de Marilyn à Terry, incluindo uma pesada bolsa contendo vocês sabem o quê. Vamos chegando ao final do filme e vemos o tosco desfecho sem conclusão quando o avião de Terry decola e ouvimos gritos de pânico!

Com isso se conclui a carnificina de um dos "grandes" vilões do cinema, que nem sequer se sabe de
sua existência, além de seu criador. Aqueles que o veem estão condenados à morte em poucos
segundos! Sem dúvida um exemplar a ser assistido por quem procura por filmes horríveis e belos
banhos! Se for ver sem expectativas irá ter uma rápida diversão despretenciosa, já que o filme é curto,
82 minutos em sua versão sem cortes. Pra quem já acompanha o blog, nem parecerá tão ruim, embora
eu ache que cabia uma pouco mais de sangreira aqui, mas garanto que será uma experiência
cinematográfica inesquecível.


O filme foi lançado em 1988, uma produção italiana filmada na República Dominicana, mas parece ser bem mais antigo, com som e imagem bem ruins e muitas cenas escuras e pouco nítidas, garantindo uma atmosfera sombria de baixo orçamento. O ator Nelson de la Rosa que faz o rato-humano, com seus apenas 72 centímetros de altura foi o menor ator segundo o IMDB, bem menos que o carismático Agente 00, Weng Weng, que media 84 centímetros. Ele também atuou em ''Missão Mortífera'' (1988) e teve seu momento em Hollywood em ''A Ilha do Dr. Moreau'' (1996), com Marlon Brando e Val Kilmer. Também participou de programas de TV e foi atração de circos.

Eva Grimaldi, que fez Marilyn, também atuou em ''Monjas Pecadoras'' (1986, de Joe D'Amato) e, entre outros, ''Forever'' (1991) do brasileiro Walter Hugo Khouri. David Warbeck, o Fred, teve destaque por ''Terror nas Trevas'' (1981, de Lucio Fulci). Quem mais me chamou a atenção do elenco foi a atriz Janet Agren, que aqui fez Terry, também fez os filmes ''O Exterminador de Aço'' (1986, de Sergio Martino), ''Pavor na Cidade dos Zumbis'' (1980, de Lucio Fulci), ''Vivos Serão Devorados'' (1980, de Umberto Lenzi) e ''Guerreiros de Fogo'' (1985), atuando com Arnold Schwarzenegger.

O diretor Giuliano Carnimeo fez filmes de diversos gêneros e entre eles vários westerns do Sartana e o sci-fi de ação madmaxiano ''Os Exterminadores do Ano 3000'' (1983). Já o roteirista Dardano Sacchetti tem um currículo interessante, tendo trabalhado no roteiro de diversos filmes de Dario Argento como ''O Gato de Nove Caudas'' (1971); de Mario Bava, como ''Mansão da Morte/Reazione a Catena'' (1971) e ''Schock'' (1977); de Lucio Fulci ''Zombi 2'' (1979), ''Pavor na Cidade dos Zumbis'' (1980), ''Terror nas Trevas'' (1981), ''A Casa dos Mortos Vivos'' (1981), ''O Estripador de Nova York'' (1981), ''Manhattan Baby'' (1982) e Lamberto Bava ''Demons'' (1985) e ''Demons 2'' (1986), enfim, muitos bons filmes italianos bem melhores que este, o que mostra que ele não estava muito disposto a pensar em uma história ou foi muito mal remunerado para isto.


RATMAN saiu com o título original de "Quella Villa in Fondo al Parco", que seria algo como "Aquela Vila no Fundo do Parque", que mais parece nome de giallo. Coisa que é reforçada pelo poster em que aparece uma mulher morta nas escadas de uma antiga casa. Também ficou conhecido como ''Terror House'', na Alemanha e claro, ''O Rato Humano'', aqui no Brasil.

Trailer


O Rato Humano (Rat Man)
Itália
1988 - 88 minutos

Direção:
Giuliano Carnimeo

Elenco:
Nelson de la Rosa (Rato Humano)
Eva Grimaldi (Marlis)
David Warbeck (Fred)
Janet Agren (Terry)
Luisa Menon (Peggy)

Download (versão legendada)

31 de jul de 2018

Ogroff (Mad Mutilator)

Gore vindo da Europa !


Mais uma resenha vinda do amigo Alan do Trashinema.

Se pedissem para uma criança de seis anos escrever o roteiro deste filme, certamente não seria tão
idiota e retardado como é. Não vou me dar o trabalho de ficar escrevendo a história em detalhes, mas
trata-se de um maníaco assassino mascarado, chamado Ogroff, que vai matando as pessoas que
param em uma estrada no meio da floresta.

Tudo começa quando uma família está parada na estrada e a criança foi fazer não sei o quê no mato
sozinha e torna-se a primeira vítima levando umas machadadas. O pai vai atrás e volta cambaleando e
sem cabeça. Já a mãe fica um bom tempo correndo e acaba nas mãos do assassino tendo os membros
decepados, assim como sua filha, que é desmembrada por um serrote, assada e devorada pelo cruel
assassino canibal. Antes disso, durante a fuga, a mãe pede carona para um carro que está passando,
que para, mas o idiota do caroneiro desce saltitando para sacaneá-la dizendo que caminhar faz bem
para a saúde e segue pela estrada.


Depois, mais uma mulher para na estrada, vê o carro da família e dá queixa à polícia, que a ignora.
Então sabiamente ela volta lá e passa a ser perseguida pelo mascarado. Vão acontecendo uma série de
cenas sem muita relação entre si e que não fazem muito sentido. Ela encontra um homem enforcado
em uma árvore e tenta salvá-lo, mas o cara a ataca e ela acaba matando-o e nos perguntamos a razão
desta cena existir além de encher linguiça. Já o assassino segue matando todo mundo que aparece na
floresta, incluindo um trio que está jogando xadrez e acaba sendo dizimado pelo maníaco, que também destrói o carro deles a marretadas. Ele também tem um duelo - que mais parece uma dança - com um sujeito que está cortando lenha com uma motosserra. Naturalmente o nosso assassino preferido consegue dominá-lo e mata a ele com sua própria serra, que depois é destruída a machadadas.


A mulher que fica fugindo então é pega pelo assassino e levada para sua cabana, onde é cheio de
restos de corpos e machadinhas penduradas. Aliás, o maluco tem o hábito de ficar lá se excitando com um pôster de mulher pelada enquanto fica acariciando sua machadinha.... Enfim, quando a mulher acorda, por algum motivo ela parece se tornar aliada ao doido mascarado, ficando por lá ao seu lado sem medo, ajudando em algumas tarefas.

Pra terminar esta desgraça, ainda aparecem zumbis de uma porta do assoalho onde o mutilador
costumava jogar pedaços de corpos. Eles atacam a mulher, que vai se abrigar no carro. O maníaco
inicia uma luta contra os zumbis toscamente maquiados decepando membros e atravessando estacas
pontiagudas, mostrando que Ogroff não poupa ninguém, sejam crianças, homens, mulheres, carros,
motosserras e até zumbis. Isto permite que a moça escape, atropelando zumbis pelo caminho e tendo
baldes de sangue sendo jogados no seu para-brisas. O mutilador volta tristonho e cabisbaixo para casa
e pega sua moto para perseguir sua nova companheira. Mas o mongoloide chega batendo no carro e
ambos perdem o controle. Mais algumas longas e xaropes cenas de zumbis perambulando pela floresta e atacando o mutilador são exibidas até que a moça consegue carona com um padre, que na verdade é um vampiro com sede de sangue!!


O filme tem 90 minutos e exige muito do espectador - muita paciência - para que continue até o fim e
sem dormir. Praticamente não existem falas e as poucas que existem são desnecessárias, o que não é
exatamente um ponto negativo. Os personagens praticamente também não emitem sons, e suas
expressões parecem ser exageradamente forçadas para parecerem o mínimo convincentes possíveis.
Provavelmente o diretor se inspirou em o ''Massacre da Serra Elétrica' e filmes de zumbi, mas é tudo tão mal feito que chama a atenção.


O filme lembra aqueles filmes ultra-baratos e amadores alemães do ultra-gore, cujos enredos não são o forte, onde basicamente um assassino mascarado sai matando
pela mata, como em Violent Shit. Em OGROFF MAD MUTILATOR, nem tem tanto sangue e tripas assim, mas sobram membros toscos decepados por toda parte.

Ogroff me lembrou Devil Story, não só por ser também francês e de baixíssimo orçamento, mas por
também ser extremamente ruim. São dois filmes terríveis que me fazem pensar se foi algum movimento do cinema amador francês que buscou testar os limites de insanidade, mau gosto e masoquismo cinematográfico dos expectadores.


O diretor N. G. Mount, que aqui atua como o mutilador, também desceu ainda mais fundo e fez outras atrocidades cinematográficas, entre elas o horrível e já comentado aqui no FILME LIVRO, Dinosaur From The Deep, de 1993. Quem teve uma carreira mais bem sucedida da equipe, talvez tenha sido o responsável pelos efeitos especiais, Benoit Lestang, que também participou de produções como Revenge of The Living Dead Girls, The Living Dead Girl, Brain Damage, Baby Blood e até filmes sérios como Amém, O Escafandro e a Borboleta, Manderlay e Martyrs.

Trailer


Ogroff (Mad Mutilator)
França
1983 - 90 minutos

Direção:
N. G. Mount

Elenco:
Robert Alaux
Françoise Deniel        
Pierre Pattin
Alain Petit
Michel Pratt   
Fabrice Bourdon
Alain Cayol

Download (versão legendada)