Google+

15 de mar de 2018

Mircrowave Massacre

Um ótimo filme para promover o micro ondas !


AVISO 1: Para melhorar o andamento do blog, convidei o Allan do Trashinema para me apoiar nas resenhas, então não preciso mais copiar as dele kkkk

AVISO 2: Agradecimentos ao Cannibal do Adoro Filmes de Terror por postar essa pérola.

O filme começa gratuitamente com uma mulher mostrando os seios em um buraco estrategicamente feito em uma parede de uma obra, atraindo a atenção dos trabalhadores. Entre eles está Donald, que não vêm vivendo um bom momento com sua esposa, May, e não têm apreciado os pratos gourmets que ela têm feito no novo micro-ondas.



Após diversos diálogos inúteis e situações que nem merecem ser citadas - e que parecem várias esquetes que não chegam a lugar nenhum, Donald chega bêbado em casa e briga com a esposa, e consequentemente a mata. Ele a fatia e a guarda na geladeira. Agora que ele tem que se virar sozinho e preparar suas refeições, Donald assa os pedaços da falecida no gigante aparelho de micro-ondas e os leva para o trabalho, onde divide com os colegas.

Ele começa a levar prostitutas para comer em sua casa - nos dois sentidos, mas principalmente ''canibalescamente'' falando - e vai acumulando carne em sua geladeira. Assim ele vai passando os dias. Em um dia leva uma mulher e passa algum molho nela antes de cortá-la - mas faz isso a cobrindo com um isopor gigante, não mostrando nada. Em outro dia leva uma mulher que trabalhava na rua vestida de galinha e após uma diversãozinha, a mata. Mas, o filme erra e muito ao não mostrar as mortes, apenas aparecem os pedaços de corpos após ele ter feito o trabalho, sendo um filme praticamente sem sangue e muito distante de qualquer sinal de gore. O máximo é quando algum sangue salta em seu rosto quando está cortando um corpo, mas cuja ação não é mostrada.



Chegamos à quase uma hora de filme e finalmente o micro-ondas, que supostamente seria o protagonista mas que quase não aparece no filme, é mostrado em ação, cozinhando alguns pedaços de corpos - estes pedaços, diga-se de passagem, são muito toscos e nada convincentes. O filme vai como o protagonista, se arrastando lentamente e sem graça até seu final, quando Donald é encontrado morto em casa, graças à interferência do micro-ondas em seu marca-passo...

Confesso que esperava muito mais de um filme chamado MICROWAVE MASSACRE. O micro-ondas é praticamente desnecessário para a "história" do filme. Não que o enredo seja algo realmente importante para este blog, mas algumas situações bizarras e ridículas, além de mortes gráficas, contribuem bastante para a diversão do filme. Coisas que aqui não são bem utilizadas. Na verdade, o filme não funciona bem como comédia e nem como horror.



Um dos maiores acertos do filme é o seu tempo de duração, cerca de 75 minutos, mesmo assim consegue ser entediante. Talvez agrade levemente os onanistas com alguns peitinhos que são exibidos. Outro erro, é o uso de uma vizinha atraente que vive sensualizando Donald, que não é usada para mais nada no filme, assim como a moça que aparece desfilando pela obra no início do filme.

Assisti procurando por uma daquelas boas tranqueiras toscas e sem orçamento feitas diretamente para vídeo, assim como ''Redneck Zombies'', ''The Abomination'' ou ''Slime City'', mas não foi o caso com MICROWAVE MASSACRE, que se mostrou um filme sem graça e covarde, por não mostrar as mortes. Mas, seguirei tentando encontrar estas obras de gosto duvidoso.



Wayne Berwick, além deste, dirigiu apenas mais um filme, chamado The Naked Monster, de 2005. Jackie Vernon, que interpreta Donald, atuou em algumas séries e comédias, faleceu em 1987 - será que por causa de seu marca-passo?

Trailer


Microwave Massacre
Estados Unidos
1983 - 76 minutos

Direção:
Wayne Berwick

Elenco:
Jackie Vernon (Donald)
Loren Schein (Roosevelt)
Al Troup (Philip)
Claire Ginsberg (May)
Lou Ann Webber (Dee Dee Dee)
Anna Marlowe (Chick)
Cindy Gant (Susie Grubb)
Sarah Alt (Evelyn)


Download (versão legendada)
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário