Google+

14 de set de 2015

Ultimate Force - Máquina Mortal (Ultimate Force)

O filme (lixo) do lutador Mirko Crocop !


Quem me conhece sabe que sou viciado em MMA (Mix Martial Arts), acompanho desde sua fase profissional em 1993 com a criação do UFC, mas o apice mesmo, foi no evento japonês Pride Fighting Championship (RIP 1997-2007), para muitos o melhor evento já criado. Por lá passaram os melhores lutadores da época em suas melhores fases, os brasileiros Minoutaro, Mauricio Shogun, Wanderlei Silva; os japoneses Takanori Gomi e a lenda Kazushi Sakuraba, os americanos Dan Henderson, Josh Barnett e o maior da história, o russo Emilianenko Fedor. Sim, não caiam na conversa da Globo com Anderson Silva. Na verdade, na minha humilde opinião, o Jon Jones já passou o russo sendo o maior da história (o que ele faz da sua vida particular é outra história)

Citei apenas alguns, obviamente tem muitos outros grande lutadores e quero comentar agora do croata, Mirko Crocop Filipovic, o marrento policial (por isso o apelido CROatian COP), politico e lutador, um dos atletas mais carismáticos que passaram pelo evento japa e meu lutador preferido. Então, não poderia deixar de adquirir o filme, onde é a estrela principal, independente de ser bom ou ruim, mas nesse caso, ele é muito ruim !


Mas antes de falar do filme, vou colocar um pouco da história do Crocop.
Nasceu em 1974 na capital croata Zagreb, na época fazendo parte da Iugoslávia e desde criança é ligado as artes marciais, mais especificamente no Kickboxing e Boxe. Na guerra civil iugoslava, perdeu seu pai cedo, sendo criado pela mãe com muita dificuldade.

Em 1994 com 20 anos entrou para o exercito e dois anos depois na força policial. Nesse período, no boxe amador, teve um cartel de 40 vitorias e 5 derrotas usando o apelido de ''Tigar'', analogia a ''tigre'' (''tiger'' em inglês) croata. Quando já era policial, aos 22 se tornou lutador profissional e estreou no K-1 WGP 1996, na época o maior evento de trocação do mundo.

Crocop vs. Vanderlei Silva no Pride FC

Sua estreia no MMA foi em 2001 contra o japonês Kazuyuki Fujita, onde venceu com apenas 39 segundos de luta, após acertar uma joelhada no rosto do adversário abrindo um corte que não pode ser estancado. No mesmo ano estreiou no maior evento de MMA do mundo, o Pride FC, contra o também japonês Nobuhiko Takada. Até 2003, mesclava participações no Pride e K-1, até depois se dedicar apenas no MMA.

Seu melhor ano foi em 2006 quando venceu o torneio absoluto (com lutadores de varias categorias de peso) do Pride FC, enfrentando na final seu ''freguês'' Josh Barnett, o vencendo pela terceira vez. No auge e com o evento japonês sendo vendido ao UFC, começa a lutar pelo evento americano onde teve uma péssima passagem. Com 3 lutas, teve apenas uma vitoria, sendo liberado para lutar no Japão no evento Dream, um sucessor ''espiritual'' do Pride.

Retornou ao UFC em 2009 e também teve outra passagem ruim, 7 lutas com apenas 3 vitorias. Mais uma vez é liberado para lutar em outros eventos. No Japão, chegou a conquistar o cinturão do IGF Championship, vencendo o judoca medalhista de ouro na Olimpíadas de 2008 Satoshi Ishi. Voltou mais uma vez para o UFC em 2015, vencendo o brasileiro Gabriel Gonzaga, numa revanche de 2007 onde o croata foi nocauteado com um chute alto, sua especialidade. Provou do seu veneno !

Para alguns, Crocop pode ser considerado arrogante, mas uma coisa é certa, é um cara muito brincalhão com seus amigos, existem diversos videos com suas brincadeiras e pegadinhas ! Segue um exemplo:



Agora, analisando o filme, vamos começar pela capa, podemos verificar o quando os distribuidores não entendem nada de MMA (ou por malandragem mesmo) e conhecem pouco o Crocop pois ele não foi campeão no UFC, na verdade conforme já citei não teve uma boa passagem por lá. Enfim, não tira os méritos que teve lutando no Japão pelo Pride FC tendo lutas memoráveis contra os brasileiros Antonio Rodrigo Minotauro, Vanderlei Silva e a lenda russa, Emilianenko Fedor, entre outras.

Passando pela capa, esse filme é apenas para fãs, amantes de porcarias cinematográficas ou ainda para quem ainda nunca viu um longa croata. O enredo tenta ser original, Axon Rey (Crocop) faz parte de uma organização secreta de assassinos do governo anti-terrorista. Eles são tão FDP que uma falha na missão significa a morte. Num certo momento, Rey se vê envolvido numa conspiração para matar seu líder. Pois é, um filme de luta onde o enredo é o menos importante aqui tenta ser ''o tal'', mas é uma merda mesmo.

Rey sendo torturado.

A mente criativa foi um tal de Mark Burson; sim, eu também não conheço, apesar de afirmar que tem um grande currículo nos Estados Unidos, mas que ninguém sabe em quais produções participou. Quem sabe em filmes XXX ? Vai saber né ? Burson, escreve, edita e dirige ULTIMATE FORCE, alias, seus outros filmes também foram assim, ''Bullethead'' de 2002 e ''The Courier'' de 2007. Tentei pegar mais informações e não encontrei.

Seguindo, Sphinx (esse é o codinome de Rey) recebe uma missão de matar um terrorista, algo fácil para um campeão do Pride FC, como um bom assassino, não deixa pistas e se possível, nem testemunhas, nesse caso, uma mulher deveria ter sido eliminada, mas Rey hesita pois na sua cabeça o fez lembrar sua antiga namorada que acreditava estar morta.

É claro que sua especialidade não poderia faltar.

Devido a essa desobediência, a pena de Rey seria a morte, mas seu superior Janus (Igor Gallo) lhe concede uma nova chance, o manda para a prisão Gulag 7. Lá se encontra outros inimigos do governo e para sobreviver não resta nada se não somente lutar. Nesse centro de reabilitação, Rey também passa por uma lavagem cerebral.

É inegável a qualidade do lutador Mirko Crocop, mas o ''ator'' é algo completamente diferente. As lutas até que são bacanas (bacaninhas na verdade), Crocop é até o coreografo das cenas de luta, mas o divertido é nas cenas de dialogo. Sim, eu sei que ele não é ator, mas eu estou aqui para zoar, né ? Quando precisa atuar, foi nítido que deixaram o personagem com poucas falas, enquanto outras conversas são desnecessariamente longas, onde o diretor tenta aplicar uma conspiração e traição ao telespectadores. Nem vou citar em diálogos baixos sendo preciso aumentar o volume para se ouvir algo.

Tecnicamente o filme é horrível, cenas mal filmadas, iluminação porca, qualidade da imagem duvidosa, com uns efeitos digitais piores que feitos em aplicativos de um smartphone. Um desses efeitos, é tipo um golpe bem aplicado que aparece uma tela de DAMAGE.


Que coisa tosca, PQP !!!!

Por curiosidade, foi filmado com câmera digital (provavelmente uma Tek Pix), talvez por isso dando um ar de precariedade e amadorismo. Por falta de verba, a criatividade prevaleceu, então para não precisar construir um cenário, na maior parte do filme, a locação é um fabrica real abandonada.

Tem horas que o filme parece um game de luta, onde escolhemos um personagem, derrota um chefe, vai para outra fase, derrota outro chefe e assim vai. Falando nesses inimigos, um deles se chama Minitar, numa clara referencia ao brasileiro Antonio Rodrigo Nogueira, o Minotauro, o venceu Crocop em 2003 numa ótima reviravolta.

Minitar: que medo !!!!

Ainda temos alguns ''parças'' de Crocop, tem um personagem que é o interrogador, ''interpretado'' por Zvonimir Lucic que vocês não devem conhecer mas é amigo e empresário do lutador. Sua atuação é de fazer inveja ao canastrão Nicolas Cage

Crocop e Lucic após o titulo do Pride Open Weight GP.

Mesmo com toda ruindade estava previsto um continuação intitulada ''Ultimate Force II: SIN Retribution'' novamente com Crocop, mas no fim foram coerentes e viram que o melhor a se fazer era cancelar mais um provável fracasso.

Crocop, ou melhor, Rey, também é pegador !!!

Enfim, se algo pode se salvar nesse filme é a modelo croata Ruza Madarevic, aqui ela é a mulher qe deveria ser morta mas é parecida com a namorada desaparecida de Rey. Ela de vez em quando faz uns filmezinhos. Talvez o mais conhecido seja ''Segredos Mortais(Down the Shore)'' e Modigliani, mas nesse ultimo apenas num pequeno papel. Também participou de um episodio da serie ''The Blacklist''

Ruza Madarevic.

Para finalizar, o melhor de tudo está na frase na capa internacional: Mirko Crocop é o novo Charles Bronson, o autor é Jean Claude Van Damme ! Não acredita ?


Não é montagem minha, podem procurar !!! Agora vamos rir !!!

HAUAHUAHAUHAHAUHUAUAH

Ah sim, por curiosidade na versão internacional melhor que o filme consta making off e entrevista com Crocop, para variar não espere por isso na versão nacional.

Infelizmente Crocop não tem como ser um novo Steven Seagal, Don ''The Dragon'' Wilson, Dolph Lundgren ou o próprio Van Damme, quiçá, um novo Bronson ! Vamos rir de novo !

          HAUAHUAHAUHAHAUHUAUAH

Trailer

Ultimate Force
Croácia/Estados Unidos
2005 - 96 minutos

Direção:
Mark Burson

Elenco:
Mirko Crocop Filipovic (Axon Rey)
Bozidar Smiljanic (O Diretor)
Ruza Madarevic (Sari/Nina)
Igor Gallo (Janus)
Kishore Mandhyan (Vishnu Prana)
Zvonimir Lucic (Interrogador)
Matthew Earley (Guggenheim)
Christopher Forbes (Caesar)

Download (versão legendada)
Comentários
2 Comentários

2 comentários:

  1. Caramba , depois de ler sobre todos os defeitos do filme eu conclui que é uma "ruindade" imperdível. Diversão pura ! Grato por compartilhar, amigo Filme Lixo.

    ResponderExcluir
  2. ótimo lutador, péssimo ator kkkk

    ResponderExcluir