Google+

23 de abr de 2017

O Gato Fritz (Fritz the Cat)

O desenho independente (e sacana) de maior sucesso da história !


Seguinte, você provavelmente que está nesse momento lendo isso, deve gostar dessa porcaria de blog. Se gosta dessa merda, deve gostar do mestre supremo Cuneyt Arkin. Mas se gosta também desse lixo de blog, deve gostar do rei da putaria Sady Baby. Agora, vamos supor que você também goste de desenho animado, essa postagem que temos a seguir é como se fosse uma versão animada de um roteiro escrito pela lenda Sady Baby. Bem, o que posso alerta-los é... PREPAREM-SE, LÁ VEM MERDA !!!!



FRITZ THE CAT é um personagem dos quadrinhos criado Robert Crumb, um dos criadores dos quadrinhos independentes e underground nos Estados Unidos. Mas antes de falarmos no Fritz, o personagem principal da postagem, vamos falar um pouco sobre Crumb e sua família. Seu pai era marinheiro e muito religioso, sendo severo e tendo uma mãe super protetora.

Numa família com 4 irmãos, Charles, o mais velho e Robert, não tinham o costume de brincar como as crianças de suas idades, a diversão deles era desenhar, incluindo histórias em quadrinhos de um gato que tinham em casa. É relatado que inclusive o irmão Charles obrigava Robert a desenhar. No documentário de 1994 ''Crumb'' do diretor Terry Zwigoff, além narração da obrigação em desenhar, é entendido que os irmãos tem um certo grau de sociofobia, ou seja, dificuldade de se relacionar e interagir com as pessoas ou até de realizar alguma atividade que é observado, como um esporte por exemplo. Charles se suicidou em 1992, inclusive o documentário é dedicado a ele.



Não sei se a infância de Robert influenciou na sua criatividade, o que podemos afirmar que o filme de FRITZ THE CAT entrou para a história sendo a primeira animação a receber uma certificação igual aos filmes pornográficos, mesmo não tendo nada de sexo explicito (contém insinuações) mas tem muita violência gratuita, consumo de drogas e linguagem chula. Uma observação, existem animações pornos de muitos anos antes, mas as mesmas eram produzidas especialmente para o cinema adulto,então não se submetiam a classificação, como por exemplo ''Eveready Harton in Buried Treasure'' de 1929 (e tem no Youtube ou Vimeo, podem procurar safadinhos), FRITZ THE CAT por ser uma animação ''comercial'', teve classificação e se deu mal.

FRITZ THE CAT seguiu o que os quadrinhos queriam passar (forçando a barra em alguns pontos), Robert por estar independente, fez o que queria, um gatinho bonitinho, criticas sociais, sexo, violência, consumo de drogas, algo totalmente fora do normal na década de 50 e 60. Criado em 1959, Fritz estreou apenas em 1965 numa revista chamada ''Help!'' que pertencia ao editor Harvey Kurtzman o mesmo da revista ''Mad'' (essa devem conhecer), também underground e sem politicamente correto.



Em 1969, um animador chamado Ralph Bakshi comprou um livro com as histórias de Robert e ficou encantado como que leu e já teve a ideia de transforma-lo numa animação de longa metragem, junto com seu amigo produtor Steve Krantz. Mas a negociação com Robert não foi nada fácil e nem com distribuidoras.

Vamos por partes, já que cada um tem uma versão diferente, Robert afirma que nunca assinou nada para transformar sua criação num longa, incluindo ameaça de processo (que ficou na ameaça) devido seu nome estar nos creditos da animação e ele queria que fosse retirado, pois viu o resultado e não gostou. Por sua vez, Krantz afirma que recebeu o contrato assinado por Robert e que pagou 12.500 dólares pelos direitos de Fritz. Talvez nunca saberemos que está falando a verdade mas provavelmete Krantz tenha algum documento, se não, provavelmente não teria criado o longa, até porque, ele não estava na Turquia na década de 60/70 (entendedores entenderão kkk). A história dessa negociação foi publicado numa matéria da revista Funnyworld de 1972 que pode ser lido em inglês clicando no botão abaixo ou aqui.



Enfim, Krantz ao invés de criar uma história original, preferiu juntar três já existentes e formar uma única aventura, com algumas adições (por isso citei anteriormente ''forçando a barra''). O resultado deixou Robert furioso assim como os fãs mais radicais. O longa se divide em pequenas histórias, tentando passar como se todas fossem interligadas. A adaptação deixou elementos importantes de fora e foi acrescido de outros como por exemplo, ainda mais violência que o original.



Bakshi e Krantz agora precisavam de uma distribuidora, assim foram bater nas portas da Warner. Após mostrarem uma cena, os executivos ficaram de boca aberta de tanta depravação e aceitariam o projeto se fosse feitas varias alterações. A dupla não concordou a acabaram fechando com uma tal Cinemation Industries, especialista em explotation.

Hoje, essa animação seria alvo de muitos do politicamente correto. Aqui os policiais são porcos, negros são corvos, a mulher burrinha é uma égua e assim por diante. Contém violência explicita, consumo de drogas, piadas infames, de humor negro e até estupro. Além do protagonista que é um universitário que não frequenta as aulas e que deseja viver de poesia e transar com todas as fêmeas que puder. FRITZ THE CAT não é para qualquer um...



No fim, a controvérsia em torno da animação foi sua maior propaganda, FRITZ THE CAT que custou 850 mil dólares, lucrou mais de 100 milhões pelo mundo. Nem o sucesso comercial fez com que Robert ficasse feliz, acabou ''ressuscitando'' o personagem dos quadrinhos (já que não escrevia a anos sobre Fritz) e o matando com um picador de gelo por uma ex-namorada, isso em 1972.

Bakshi continuou sendo animador, inclusive a primeira adaptação para um longa do ''Senhor dos Aneis'' foi dele, uma animação de mais de duas horas de 1978 que abrange os dois primeiros livros.
Krantz que faleceu em 2007 participou da produção do desenho do Homem Aranha de 1967 a 1970. Em 1974 participou da continuação de FRITZ THE CAT, intitulada de ''The Nine Lives of Fritz the Cat'' dirigida por Robert Taylor e que teve uma péssima recepção, matando de vez o personagem.



Já Robert Crump continua desenhando, pode-se acompanhar seu trabalhado em seu site oficial:

http://www.crumbproducts.com

O desenho é tão divertido e bagaceira que parece uma versão desenho de algum filme do Sady Baby (mas sem sexo explicito). Entenderam a minha comparação ?


Trailer

video


O Gato Fritz (Fritz the Cat)
Estados Unidos
1972 - 80 minutos

Direção:
Ralph Bakshi

Elenco:
Skip Hinnant (Fritz)
Rosetta LeNoire (Bertha/Vozes adicionais)
John McCurry (Blue/John/Vozes adicionais)
Judy Engles (Winston Schwartz/Lizard Leader)
Phil Seuling (Policial porco 1)
Ralph Bakshi (Narrador/Policial porco 2)
Mary Dean (Garota 1/2/3/Harriet)
Charles Spidar (Bartender/Duke)


Download (versão legendada)

31 de mar de 2017

4 anos !!!!

DE MUITAS MERDAS !!!


Então chegamos a 4 anos de muita bobagem, muita bosta, muita sacanagem (é o pessoal gosta de sacanagem). É claro que quero agradecer a galera que sempre comenta os blogs parceiros e a todos que perdem seu tempo acessando essa porcaria de blog.

Vamos a algumas estatísticas até 30/03/2017 segundo o Google Analytics:

Acessos:
603.136


Filmes postados:
113

Postagem mais acessada:
Mulheres & Cavalos

Postagem mais comentada:
Cinderela Baiana

Top 10 postagens (em acessos):
01. Mulheres & Cavalos
02. Hungry Bitches
03. Meninas Virgens & P... (Troca de Óleo)
04. Duas Mulheres e Um Ponei
05. No Calor do Buraco
06. The XXXorcist
07. Mulher, Mulher
08. Amores de um Pistoleiro (Um Pistoleiro Chamado Papaco)
09. Ônibus da Suruba
10. Cinderela Baiana

Postagem menos acessada:
Fat Head

Países que mais acessam:
01. Brasil
02. Portugal
03. Estados Unidos
04. Reino Unido
05. Alemanha
06. Espanha
07. Russia
08. Argentina
09. Itália
10. Índia

Cidades brasileiras que mais acessam:
01. São Paulo
02. Rio de Janeiro
03. Belo Horizonte
04. Porto Alegre
05. Curitiba
06. Fortaleza
07. Brasília
08. Recife
09. Salvador
10. Campinas

Navegador utilizado:
01. Chrome
02. Firefox
03. Internet Explorer
04. Opera
05. Safari

Sistema operacional utilizado:
01. Windows
02. Linux
03. Macintosh
04. Android
05. iOS

Curtidas no Facebook:
1.806

54,15 % Homens
45,85 % Mulheres

ABRAÇO A TODOS !!!

27 de mar de 2017

BLARGHAAAHRGARG

Dos criadores de Banana Motherfucker !!!


Se você assistiu Papa Wrestling ou Banana Motherfucker, com certeza vão gostar de BLARGHAAAHRGARG, até porque todos os citados foram feitos pelas mesmas pessoas, então obviamente aqui também tem muita bizarrice, fazendo a felicidade dos amantes de filmes trash.  BLARG... (é muito grande o nome...) foi feito com o dinheiro arrecadado com a venda de DVDs do Papa Wrestling e acabou custando a enorme quantia de 850 euros.


Obviamente por ser um curta trash, a história é apenas algo ''obrigatório'', não vai fazer diferença nenhuma. Zeca Galhão (Dinarte de Freitas) é um jovem nerd, tímido e trabalhador, fazendo parte de uma empresa de extermínio de pragas. Certo dia, após um acidente, um grande monstro assassino é criado. Compreenderam ? A história aqui é o menos importante, o que vale é o nível de trash da perola !!!

Claramente inspirado nos filmes B da decada de 50, 60, BLARGHAAAHRGARG é bem divertido e se existe um contra, é devido ao mesmo ser curta metragem. O filme cumpre o que propõe, que é entreter e divertir. Pode até chamar o pai, a mãe, a irmã que não curtem trash para te acompanhar nessa bela obra de arte.

A direção ficou a cargo de Nuria Leon Bernardo que também escreveu o roteiro. Bernardo foi o produtor também de Banana Motherfucker e também fez os desenhos que aparecem no Papa Wrestling.

O nerd ficou a cargo de Dinarte de Freitas, que é desconhecido aqui no Brasil, mas que tem um certo sucesso em Portugal, principalmente atuando em series e curtas. Dinarte escreveu e dirigiu um curta que foi muito bem avaliado, o ''Endless Memories'', como é mais conhecido e tendo seu nome original, ''As Memorias que Nunca se Apagam''. contando a história de um casal da Ilha da Madeira no periodo de revolução da decada de 30.

E a atração principal, o monstro BLARGHAAAHRGARG (é claro que não ia deixa-lo de fora), foi criado pelo Fernando Alle, que quem acompanha o blog já devem ter ouvido falar.








Trailer


BLARGHAAAHRGARG
Portugal
2010 - 14 minutos

Direção:
Nuria Leon Bernardo

Elenco:

Dinarte de Freitas (Zeca Galhão)
Pedro Barão Dias (Cliente)
Adelaide João (Avó)
Luís Zhang (Recepcionista)

Download

28 de fev de 2017

Riding Shotgun

Curta cheio de sensualidade


Ultimamente trouxe alguns curtas bem propositalmente toscos, como Papá Wrestliing ou Banana Motherfucker, agora trago um curta animado tão divertido quanto os citados. O curta RIDING SHOTGUN é baseado numa historia em quadrinhos de mesmo nome criado por Nathaniel Bowden e Tracy Yardley e publicado pela Tokyopop, distribuidora especializada em animes e mangas.

RIDING SHOTGUN se passa num futuro próximo onde a indústria de armas privatizou a segurança em geral e qualquer um pode se tornar um assassino licenciado, pois as mortes foram legalizadas !
Existe uma aliança dos assassinos onde um codigo de honra deve ser obrigatoriamente seguido. O foco da história são em Doyle e Abby, dois assassinos novatos que querem subir de status. É possível ter essa explicação toda nos quadrinhos, no curta é apenas a dupla indo completar uma missão.

Existe também a versão ''motion comic'', que basicamente é os quadrinhos falado, mas infelizmente somente em inglês. Nessa versão, com todos os episódios unidos, ao todo são um pouco mais de 44 minutos, aqui também explicando o que aconteceu com o país.

RIDING SHOTGUN é bem violento, possui muito humor (incluindo humor negro), piadas de duplo sentido, personagem muito sensual, ou seja, fora do politicamente correto e isso é demais !!! Resumindo é feito para adultos. Com tudo isso, só poderia ter sido produzida pelo estúdio Media Mondo, o mesmo de Happy Tree Friends. Serio, não conhece Happy Tree Friends ? É aquele desenhos com bichinhos fofinhos, bonitinhos e que se matam violentamente em todos os capítulos. Não sabe ainda ? Procura, está perdendo um desenho divertido pra caramba !!!

Para quem não conhece



Voltando ao RIDING SHOTGUN, a direção do curta ficou a cargo de Michael Davis, que já dirigiu ''Mandando Bala (Shoot 'Em Up)'', ''100 Mulheres (Girl Fever)'', ''Monster Man'', entre outros.

A dublagem de Abby ficou com Jessy Schram, atriz e dubladora que pode ser vista em nas series ''Mad Men'', ''Falling Skies'', ''Nashville'', ''Era uma Vez (Once Upon a Time)'', entre outras.

Já o Doyle, foi muito bem representado por Yuri Lowenthal, que provavelmente você não deve conhece-lo, mas sua voz sim, incluindo para quem joga videogames, Lowenthal dublou personagens no ''Titanfall 2'', ''Mighty Nº9'', ''Fallout 4'', ''Halo 5'', ''Saints Row: Gat Out a Hell'', ''The Order 1886'',  ''Uncharted 4'', vários jogos do Lego,  o Peter Parker no exclusivo de PlayStation 4 e muito mais; em animações, ''Batman Unlimited'', ''Ben 10'', ''Naruto'', ''Bleach'', ''Afro Samurai'' e também muito mais. Segundo o IMDB, contém mais de 530 créditos !

Segue imagens:









Site da Media Mondo:
https://mondomedia.com/

Site da Tokyopop:
http://www.tokyopop.com/

Trailer (não tem)

Riding Shotgun 
Estados Unidos
2013 - 6 minutos

Direção:
Michael Davis

Elenco:
Yuri Lowenthal (Doyle)
Jessy Schram (Abby)


Download (versão legendada)

Motion Comic
Download (em inglês)

12 de fev de 2017

The Geek

Bizarrice a outro extremo !


''Geek'' é um termo utilizado para indicar uma pessoa que gosta muito de tecnologia, como videogames, telefones, indicar fãs de história em quadrinhos, jogos de tabuleiros, filmes entre diversas outras coisas. Alguns podem usar como um termo pejorativo, mas jovens ''geek'' sentem orgulho de carregar essa alcunha.

Essa palavra teve primeira menção em 1876 como um sinônimo para otário (ou fool, em inglês, língua da origem). Com o tempo, artistas de rua que comiam inseto (bug, em inglês) passaram a serem conhecidos como ''geek'' e por analogia, os viciados em computadores, ou ''comedores'' de ''bugs'', começaram a serem chamados assim.

O ''nerd'' se difere de ''geek'' pois o primeiro geralmente é alguém além de outras características, inteligente, já o ''geek'' não é, ou não necessariamente. Geek também pode ser traduzido como ''aberração'', por isso o nome do filme.

Mas essa pequena explicação é apenas para o pessoal não confundir THE GEEK como sendo um filme intelectual ou qualquer outra coisa, pois na verdade se trata de um filme XXX, ou seja, porno, ou melhor ainda, porno bizarro, porno trash, porno da pior qualidade possível (tudo bem, não chega a ser um ''Sady Baby Style'', até tem mulher bonita) !!!

Essa merda para variar foi enviada pelo DougTrash (pois é, ele não vai com a minha cara), onde somente esse maluco para achar essas raríssimas pérolas da 7ª arte. O melhor de tudo, legendado !!!! Não que faça muita diferença num filme porno, mas mesmo assim é uma vantagem.

Enfim, essa merda é sobre um grupo de naturistas que vão para o meio da floresta para darem uma transada e para visualizarem um pé grande (também conhecido como sasquatch), só não contavam que esse macaco gigante. Curiosamente, THE GEEK é o segundo filme a caracterizar esse lendário animal que até hoje não existe comprovação. O primeiro foi ''Bigfoot'' de 1970 com a lenda dos filmes B, John Carradine, ator de 350 filmes, segundo o IMDB. O que podemos ter certeza é que THE GEEK tem a pior caracterização do pé grande, isso tenho certeza absoluta !!

O filme começa com uma narração de Donn Davidson, o diretor de um famoso cinema californiano chamado ''Dragon Art Theatre'', que passava filmes pornos, pornos trash, ao estilo THE GEEK. Ele tenta passar medo ao telespectador com esse bizarro filme. Na verdade, Donn tem razão, esse filme é para ter medo mesmo, causa danos cerebrais, eu não recomendo assisti-lo.

Donn Davidson.

Depois da bizarra apresentação, começa os letreiros, já no inicio indica que o filme que foi filmado em Oregon, Washington, Alberta (estados no EUA) e Canadá, puxa, com certeza essa merda mal pagou os atores (se bobear foram até voluntários), quiçá tenha todas essas locações. Após essa propaganda enganosa, temos uma narração que causa mais medo para quem está assistindo. Tenho certeza que muitos vão fechar o video. Nem vou postar aqui pois se não vcs nem irão continuar lendo essa merda de postagem.

Aqui temos 3 casais que irão explorar a floresta, tenho poucas informações sobre os ''atores'', de certeza que pelo menos três deles, duas mulheres e um homem saíram do cinema adulto mesmo, a morena (com roupa preta) Nora Wieternik, a loira Lynn Holmes e Ric Lutze, alias, ele é mais ''famoso'' por ter sido o marido de Rene Bond, clássica atriz porno dos 60 e 70 e hall da fama do AVN. Inclusive o casal da vida real e Nora trabalharam juntos em ''Refinements in Love''

A equipe chegando na floresta.

Após caminhadas, montagem das barracas e quase metade do filme, temos a primeira cena de sexo. Não vá esperando coisa boa, é uma cena bem simples e toda cortada. O grupo se encontra novamente para continuar as buscas no dia seguinte. Rola mais uma transa, infelizmente toda cortada também. Pelo menos aqui o conversa foi muito legal:
- Eu fui um bom pedaço de bunda ? - Pergunta a loira.
- Você foi o melhor pedaço que já comi. Claro, você foi a unica.
- Você tá querendo me dizer que é virgem ?!
- Bem, o mais próximo que já cheguei foi quando minha irmã deixou chegar nos seus peitos.


Bastante namoro no filme.

Transa terminada, dia seguinte e continua a expedição, caminhada, caminhada e mais caminhada (apenas para encher linguiça no filme), até que um deles avista uma pegada, adivinha de quem ? Sim, do pé grande ! Porra, já passou meia hora (de 47 minutos totais) e ainda não apareceu a atração do longa. Eles decidem próximo a pegada pois acreditam que o pé grande possa estar por perto.



Caminhadas e mais caminhadas...

Mas após uma longa espera temos finalmente o encontro esperado com isso...:


Porra, dá vontade de parar de escrever, que merda, estou revoltado, isso é pé grande que se apresente ???? Enfim, pós a apresentação tosca, o grupo avista o humanoide e resolvem fazer contato. Mas é claro, com três barbados na equipe é obvio que enviaram uma mulher, sim, escolha fantástica. Com o mimimi que existe hoje, imagina o que as feminazis não fariam com esse filme ?

Bem, a mulher chega perto e o safado pé grande começa a passar a mão nela e provavelmente depois de alguns cortes, o animal já está metendo a piroca. No inicio ela até queria resistir, mas logo começou a gostar de um membro diferenciada. O mais legal de tudo é que os três homens não fizeram nada para ajudar, provavelmente são bundões os voyers !!! Mas ainda tem mais, a zoofilia foi filmada !!!

Minutos depois, o animal é avistado mais uma vez e bem empolgado um deles grita para fujirem, sendo que um vai para cada lado. O pé grande vai ao encontro de... É claro, de uma mulher que também nem tenta resistir. Mas depois dessa pelo menos o carinhoso humanoide tira um cochilo abraçadinho a mulher. Você faz isso em casa ? Onde depois que goza se vira pro lado ? Se inspire no pé grande !

Carinhoso...

Somente depois de tudo isso os ''homens'' resolveram se vingar e partem para cima, numa ''luta'' que Os Trapalhãoes e o astro do blog Cuneyt Arkin sentiriam orgulho ! Enquanto isso a mulher desmaiada (ou aproveitando o orgasmo), com a bunda pra fora e ninguém ajudando a coitada. Quando terminada a porradaria, só resta a equipe ir embora, não sem antes o virgem dizer que ainda se encontrar com o animal... (HAHAHAHA). O filme termina e eu só tenho lamentar de assistir essa merda. Não posso esquecer do Gardenal depois disso tudo.


O diretor dessa porcaria é desconhecido, bem difícil de se encontrar alguma informação precisa, uma suspeita é que quem assumiu a cadeira foi James Meyers que dirigiu alguns pornos nos anos 70 sob o pseudônimo Jimmy DeKnight.

Essa bomba foi trazido a toda pela Something Weird Video, produtora que trabalha com diversas bizarrices. Descoberto em 1996, foi lançado sendo ''special edition'', simplesmente não sei no que, a unica coisa que descobri que essa versão que trouxe está cortada (principalmente nas cenas que se teria sexo oral).


Depois disso tudo, só tenho a pedir desculpas aos leitores...

Trailer (não tem)


The Geek
Estados Unidos
1971 - 47 minutos

Direção:
?

Elenco:
Lynn Holmes (A loira)
Nora Wieternik (A morena de roupa preta)
Ric Lutze (É algum dos homens)

Download (versão legendada)

29 de jan de 2017

La Metralleta

A vingança da Metralleta !


O México, terra de mulheres lindas, onde nasceram diversos grandes humoristas da história, como o Chespirito, Cantinflas, Ramon Valdez, entre outros. São vizinhos dos Estados Unidos e possuem uma cultura rica e peculiar. Possuem umas das maiores gastronomias do mundo, em termos de variedades, fortemente influenciados pelos índios e os europeus.

Nos esportes, o preferido é o futebol, com uma liga forte economicamente e dominante na America do Norte mas com resultados inexpressivos globalmente. Já sua seleção nacional geralmente fazem boas campanhas em Copas do Mundo, mas ainda não chegaram perto do titulo. Outros esportes populares são o boxe e a ''lucha libre'', as lutas combinadas. Outro evento muito popular é a charreada, que é o rodeio versão mexicana.

A sétima arte não podia ficar de fora, o cinema mexicano tem origem nos anos 20, com pouquíssimas produções feitas, assim como na década seguinte. O ''boom'' veio nos anos 40, sem a concorrência de Hollywood (que deu uma estagnada nessa época), onde chegaram a dominar o mercado da America Latina, pelo menos até meados dos anos 50, onde esse período ficou conhecia como ''Anos de Ouro''. Outro fator que ajudou, com o alinhamento dos mexicanos com os americanos na 2ª Guerra, Hollywood alugava vários equipamentos e prestava assessoria técnica a um preço muito em conta.

Diversos clássicos foram filmados como:
*Maria Candelária (1944) Vencedor em Cannes
*As Abandonadas (1944)
*Coração Torturado (1945)
*Rio Escondido (1947)
*Maclovia (1948)

Após o fim de ''ouro'', o cinema mexicano continuou muito bom, mas sem a mesma força anteriormente. Sempre surge filmes ótimos e com sucesso mundial mas agora sem a mesma frequência. Alguns exemplos:
*Viridiana (1961)
*O Anjo Exterminador (1962)
*Como Água para Chocolate (1992)
*Amores Brutos (2000)
*O Labirinto do Fauno (2006)

Talvez o diretor mexicano de maior sucesso (ou mais conhecido) seja Guilhermo del Toro, dirigindo filmes nos Estados Unidos como ''Hellboy'' (1 e 2); ''Colina Escarlate (Crimson Peak)''; Blade 2, entre outros. Como produtor esteve presente no ''Kung Fu Panda 2''; ''Não Tenha Medo do Escuro (Don't Be Afraid of the Dark''); ''Mama''; entre outros.

Mas enfim, o México também roduz perolas dignas do FILMELIXO, já trouxe o bizarro La Mujer Murcielago (com a bela Maura Monti) e agora venho com o tosco LA METRALLETA com susana Dosamantes, interpretando uma policial. Susana é atriz muito popular na America do Norte.



Diana e sua inseparável ''metralleta''

Aqui Susana é Diana, também conhecia como La Metralleta, sim, ela não desgruda de uma Uzi 9mm, por isso o apelido. Ela é uma agente da policia federal mexicana, e faz parte de uma equipe para desmantelar um cartel de drogas.

LA METRALLETA começa cheio de ação, com uma batida policial no local onde estão os vagabundos. A policia federal é do tipo que atira primeiro e pergunta depois; e após o confronto com muitos mortos e vários presos, (inclusive com um policial descendo por umas correntes, levando um tiro no peito mas ainda com forças se agarrando), um dos marginais, o Cubano (Julio Cesar Baez) consegue escapar e planeja uma vingança junto com seu chefe Constantino (Juan Gallardo) contra a Diana. Mas por que contra ela ? Enfim, coisas que não precisamos saber.

Constantino e Cubano

A vingança contra ela é através de sua irmã mais nova Sandra (Blanca Bluitron). Para piorar as coisas, o informante de Diana é morto (e na verdade por culpa dela). Enquanto não fazem nada com Sandra, ela se envolve com um cantor da noite chamado Hugo, que lhe vicia nas drogas, causando revolta em Diana. Na verdade, esse cantor de 4ª categoria (estou forçando a barra, esse cantor é o profissional Hugo Jordan e canta muito) trabalha para Constantino, entregando a moça de bandeja para ele. Mas se para cantar ele manda bem, para se vestir... Tem uma parte que ele está com roupa social e pochete !!!! Ou eu não entendo nada de moda.

O cantor galanteador e Sandra

No fim, o cantor ''vende'' Sandra para uma dupla de sadomasoquistas que acabam torturando-a e a matando. Obviamente, Diana fica arrasada e planeja vingança contra Constantino e seus comparsas. Os vagabundos vão conhecer da pior forma o porque dela ser chamada de ''La Metralleta''. Mais tarde, devido a forma das morte, o chefe de Diana, Robles (Carlos Cardán) facilmente chega a ela como a culpada dessas execuções e a manda prender.

Enquanto isso, com uma caixa de fósforos com o nome de uma casa noturna que Diana encontra em sua casa, ela chega até Hugo o fazendo confessar todas as merdas feitas, e gerando pistas para chegar aos demais membros do cartel de Constantino.

Bem, as melhores partes do filme são quando a musa La Metralleta tem que mostras suas habilidades de luta, é impressionante o que ela consegue fazer, ''malditos ninjas, mal posso ver seus movimentos''. Não esquecendo também, que em diversas partes que usa sua Uzi 9mm, ouvimos apenas os tiros, não vemos a arma disparar, é tosco demais !!! Sem contar que dificilmente sai sangue dos baleados, os tiros não perfuram paredes, nem carros, nem nada !!! Nem vou citar que os capangas de Constatino parecem ser o Mr. Magoo, não acertam um tiro nela, mesmo ela muito exposta. 





Mas uma coisa boa no filme, Susana Dosamantes que é mãe da diva mexicana Paulina Rubio (talvez com essa informação faça com que o pessoal aumente o interesse nessa bomba). Dosamantes é uma famosa atriz mexicana, atuou em mais de 60 trabalhos, incluindo filmes, series e novelas.

Paulina e Susana

E para quem não conhece sua filha, segue um videoclipe:



Mas infelizmente tenho que voltar ao filme...
Não, é melhor terminar por aqui...
Colaboração de...



Trailer (não tem)

La Metralleta
México
1990 - 77 minutos

Direção:
Roberto Schlosser

Elenco:
Susana Dosamantes (Diana ''La Metralleta'')
Carlos Cardán (Robles)
Juan Gallardo (Constantino)
Blanca Buitron (Sandra)
Julio César Báez (Cubano)
Roberto Ruy (Pitarras) 

Download (versão legendada)